Você comeu o que? A Placenta?!

Sim, eu comi minha placenta! Calma, antes que você vomite aí mesmo, me dê a chance de explicar melhor. Não pense que eu pendurei um guardanapo no pescoço, adicionei sal, uma pimentinha, um azeitinho de oliva e mandei ver na minha placenta. Eu tomei placenta em cápsulas. Uau, falando assim soa ainda mais estranho: Placenta em cápsulas! Brincadeiras de lado, eu tomei sim cápsulas da minha placenta e  fiquei bem impressionada com o resultado. Aqui vai uma explicação mais detalhada:

A placenta é um órgão que se desenvolve na parede do útero durante a gravidez e tem como principal função fornecer oxigênio e nutrientes para o bebê. A placenta também produz e libera hormônios como a ocitocina e o hormônio CRH -que combate o estresse. No terceiro trimestre a secreção de CRH quase triplica – o que às vezes faz com que o hipotálamo entre em “greve” de CRH, uma das causas da depressão pós-parto e desequilíbrio hormonal. Uma vez que o bebê nasce e a placenta é expelida, os níveis destes hormónios cai drasticamente. Acontece que uma alta quantidade destes hormônios, assim como diversos nutrientes como o ferro e vitamina B6, continuam presentes em alta quantidades na placenta que foi expelida. 

Mas por que ralhos alguém comeria a própria placenta? Aqui está uma lista dos possíveis benefícios:

  • Aumento da liberação do hormônio ocitocina, que ajuda o útero a voltar ao tamanho normal e incentiva a união com o bebê
  • Aumento de CRH, hormônio que combate o stress
  • Diminuição nos níveis de depressão pós -parto
  • Restauração dos níveis de ferro no sangue 
  • Aumento da produção de leite

Encapsulamento da Placenta

Encapsulamento da Placenta não é um processo novo, pelo contrário. Esta prática vem sendo usada há muitos anos na Medicina Tradicional Chinesa. É um processo simples, em que após o parto, a placenta é cozida no vapor, desidratada e moída. O resultado final é um pó, que é então colocado em cápsulas, semelhante às cápsulas usadas em remédios e suplementos. 

A minha experiência

A primeira vez que ouvi falar sobre encapsulamento de placenta foi durante o curso de parto natural que fiz quando estava grávida do Dom. Apesar de me considerar uma pessoa um pouco cética para estas coisas, eu também tenho um lado metamorfose ambulante. Então, por mais que num primeiro momento eu não tenha acreditado muito, ainda assim resolvi pesquisar um pouco mais sobre o assunto. Conversei pessoalmente com algumas mães, li depoimentos e levantei o máximo de informação que eu conseguia respeito. A realidade é que não existem muitos dados, nem mesmo pesquisas cientificas que possam provar ou não os benefícios desta prática. Por outro lado, todas as mães que conversei foram unânimes em dizer que o pós parto delas foi tranquilo, que elas se sentiram ótimas e produziam bastante leite. O que me deixou mais intrigada foi que das mães que conversei, três já estavam no segundo ou terceiro filho, e todas disseram que o pós parto com as cápsulas de placenta foi muito mais fácil quando comparado com o pós parto da gravidez anterior. Levando tudo isso em consideração resolvi tentar. Minha experiência não poderia ter sido mais positiva. Meu pós parto foi tranqüilíssimo, me senti super bem disposta, cheia de energia, não tive nenhum sinal de depressão pós parto e produzi muito leite.

Quatro meses depois eu engravidei da Zara e não tive dúvidas que iria encapsular minha placenta novamente.  Eu recomendo para todas as minhas amigas e apesar de ter certeza que muitas pessoas ao lerem este post vão fazer cara de nojo, acho que só quem teve a experiência sabe do que estou falando. Acho bacana lembrar que existem várias coisas que fazemos para melhorar nossa saúde que não foram estudadas e provadas pela ciência, ainda assim sabemos que funcionam.

Ps. Antes de publicar este post fiz uma pesquisa rápida para tentar descobrir se existia alguém que trabalhe com encapsulamento de placenta no Brasil.  Pelo o que eu entendi, no Brasil, o hospital não deixa nem a mãe e nem ninguém retirar a placenta do hospital, ou seja, se o parto for hospitalar não tem como fazer o encapsulamento da placenta. Incrível como até isso no Brasil é complicado. MAS, parece que em Brasília já existe uma empresa de duas enfermeiras que fazem este tipo de serviço para mães que optam por parto domiciliar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s