Férias em família

Dezembro, 2015 – Férias em família

Eu, João (meu marido), Zara com 2 meses e meio (sim, 2 meses e meio), Dom com 15 meses, e Cae com 12 anos, viajamos para o Kauai (ilha no Hawaii).

… Adiantando a história para o terceiro dia de viagem…

Chegamos na praia.
Passo protetor no Dom.
Cae não quer passar protetor. Peço 400 bilhões de vezes para Cae passar protetor, ele se recusa.
Cae se faz de louco e vai para a água sem protetor.
Amamento Zara pensando que Cae terá um câncer de pele.
Grito para Cae voltar e passar protetor. Ele continua me ignorando.
Vejo Cae, Dom e João na água.
Por 30 segundos penso que a viagem está sendo deliciosa, e que todo o esforço está valendo a pena.
Coloco Zara deitada na sombra. Zara dorme.
A vida é bela.
Penso que poderei até tomar Sol. Lembro que estou gorda e flácida, mas f*da-se o mundo, acabei de parir e voltando para casa eu entro na dieta.
Deito.
Meu marido volta da água dizendo que vai para o carro, pegar sabe Deus o que.
Sento para ficar olhando o Cae e Dom que ficaram na água.
Meu banho de Sol durou 1 minuto, mas tudo bem, ainda terei a tarde toda.
Começa a ventar.
O vento vai ficando mais forte.
Areia cai no rosto de Zara. Muita areia cai no rosto de Zara.
Zara acorda.
Zara entra em pânico com o vento. Zara grita descontroladamente.
O cabelo de Zara é só areia. O ouvido de Zara está cheio de areia. Tento acalma-la.
Não da certo.
Continuo de longe olhando o Cae e o Dom.
Sinto uma ligeira tensão no ar.
Nisto já estou de pé com Zara aos berros, balançando ela para lá e pra cá.
Sinto que minha bunda também está balançado pra lá e pra cá. Penso que chegando em San Diego eu preciso voltar para academia.
Vejo Cae pegar Dom no colo e arrasta-lo para fora da água. Lembro que o Cae não passou protetor. Lembro do cancer de pele.
Escuto os berros de Dom, que não quer sair da água.
Cae se aproxima.
Os berros de Dom já estão a todo vapor.
Zara continua gritando.
A estas alturas eu já estou pulando mais que a globeleza com ela no colo.
Minha bunda agora balança pra cima e pra baixo. Eu preciso MUITO voltar para a academia.
Cae vem gritando: “Bla Bla Bla bla banheiro?”
Não consigo ouvir pois os gritos de Zara e do Dom estão nível “show do Metallica”.
Cae grita: “Preciso fazer cocô, onde tem banheiro?”
Dom corre e grita em direção a água.
Cae vai atrás para segura-lo e continua repetindo: Mãe, onde tem banheiro? Preciso muito fazer cocô.”
Zara continua chorando.
Cae volta com Dom aos berros: Mãe, você não está entendendo, preciso muito, muito, fazer cocô, onde tem banheiro?”
Olho ao meu redor não vejo um filho da p*ta de um banheiro químico.
Faço o que qualquer mulher faria no meu lugar: Xingo o meu marido.
Como ele ousa ir ao carro? Como ele não foi capaz de prever que Zara seria atacada por uma nuvem de areia? Que o intestino preso do Cae decidiria funcionar em plena praia? E que Dom iria berrar tanto?
Falando nisso, cadê este homem meu Deus? Como alguém pode demorar tanto para ir buscar algo no carro e voltar? Eu vou maaaaaatar o João.
Escuto: Choro. Grito. cocô. Cocô. Choro. Grito
Tento colocar em pratica as técnicas de meditação que aprendi no curso de parto natural.
Por alguns segundos me perco nos meus xingamentos, digo, pensamentos.
Um pingo cai no meu ombro e me faz voltar a realidade.
Outro pingo.
Outro pingo.
Outro pingo.
Meditação é uma ova. Que p*rra é esta agora? Chuva?!
Olho pra cima, existe uma única nuvem em cima da praia. Você só pode estar fuc*i*g brincando comigo seu São Pedro.
Vamos todos para baixo do guarda Sol.
Zara já está pink de tanto chorar.
Vejo a campainha da garganta dela balançando e vibrando (tipo desenho animado). Dom berra, berra, berra. Parece um exorcista tentando se soltar do Cae. Vejo no rosto do Cae que ele esta prestes a defecar nas areias havaianas.
Pronto, serei presa. Se fumar na praia já é contra lei, quem dirá cagar.
Pingos caem sobre todos nós.
Fu*k, f*ck, fu*k, f*ck.
Sinto aquela vontade absurda de chorar.
Sinto uma lagriminha escorrer. Tento segurar. Já estou naquele estado que se alguém me abraçar eu choro. Se alguém me olhar nos olhos, eu choro.
PELAMORDEDEUS alguém faça alguma coisa!
Por um milagre divino, Zara para de chorar.
Dominic vê vários passarinhos voando, se distrai e desiste de ser o protagonista do Exorcista 3.
Cae lembra que viu um restaurante perto do estacionamento e corre para ver se eles tem banheiro.
O vento leva a nuvem carregada.
Para de chover.
Silêncio.
Silêncio.
Silêncio.
Nada mais lindo do que o silêncio.
Sabe aquele CD do Rappa “o silêncio que precede o esporro”?
Se o Falcão fosse mãe, o nome seria: O silêncio que PROcede o esporro.
Nada mais maravilhoso.
Meu marido aparece, feliz, cantarolando.
Ele demorou porque parou para comprar comida.
E cerveja. Sim, cerveja. Gelada.
Meu deus, como eu amo este homem.
E a vida continua.
Resolvi contar esta história porque tenho certeza que no meio destas quase 20 mil seguidoras, deve ter pelo menos uma mulheres precisando ler isto hoje. Por traz de lindas fotos de um dia de praia com 3 crianças, existe choro, gritos, e lágrimas… É assim com todo mundo. Melhora, piora, melhora, piora e melhora novamente. E a vida continua.
Bom final de semana!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s