Dia das Mães sem Mãe.

Eu relutei um pouco para publicar este texto. Por sua natureza triste, muitas pessoas não gostam de ler a respeito. Depois de muito refletir, lembrei da minha ansiedade para o meu primeiro dia das mães sem mãe. E o quanto eu fui tola em achar que aquele seria um dia absurdamente difícil, para o resto da minha vida. Por isso, cheguei a conclusão de que se este texto chegar aos olhos de pelo menos uma pessoa que esteja precisando, já me sinto feliz.

Dia das mães sem mãe.

Lembro do dia que ela morreu. Eu no carro, no caminho do hospital para casa, olhando pela janela. Eu precisava ter a certeza que o mundo lá fora ainda existia, e que a Terra continuava girando. Para minha grande surpresa, as pessoas continuavam levando suas vidas normalmente. Famílias passavam sorrindo, crianças brincavam. É como se nada estivesse diferente. Logo percebi que o mundo não iria andar mais devagar durante o meu luto. E é assim com todo mundo.

Alguns dizem que o luto funciona como as ondas do mar. Entre uma calmaria e outra, vem uma onda e te derruba. Não acredito que esta seja a melhor comparação. Pensar desta forma é como dizer que é possível conhecer o ritmo, e prever quando você irá cair, como na maré baixa e na maré cheia. No meu luto, as ondas veem quando eu menos espero e da onde onde eu nem imagino.

Eu estaria mentindo se eu dissesse que o dia das mães é um dia difícil para mim. Dia das mães, natal, aniversário. Digo com toda sinceridade do mundo que estas datas já não mais me afetam. Pequenos acontecimentos do cotidiano são muito mais duros e impiedosos. É como se estivesse sempre faltando algo, alguma coisa, em cada experiência positiva que eu passo na vida. E por outro lado, é como se houvesse uma solidão ainda maior em cada momento de tristeza e em cada derrota.

Desde que ela partiu, eu já me divorciei, mudei de país, casei novamente, tive dois filhos, mudei de profissão, viajei, conhecei lugares e pessoas, fiz tantas, e tantas coisas. Tudo isto sem a presença física da minha mãe. E é destes momentos da vida que estou falando. Não poder compartilhar a sua história com a única pessoa deste planeta que te ama incondicionalmente. Aprendi que esta, com certeza, é uma realidade bem mais dura do que datas como o dia das mães ou o natal.

Mas vamos falar de coisas boas.
“Ãh? Coisas boas? – Você deve estar pensando.
Sim, existem pontos positivos, e demorou um bom tempo para que eu conseguisse enxerga-los. Claro que os pontos positivos jamais irão chegar aos pés dos pontos negativos, mas que eles existem, sim eles existem.

Perder a mãe faz com que você adquira uma certa resistência a futuros problemas emocionais. Não é fácil te derrubar. O fundo do seu poço já é lá embaixo, e você conhece bem o caminho para subir. Você aprende a se resgatar, quantas vezes for necessário. Você fica extremamente independente, e se torna uma grande conhecedora dos seus próprios medos e inseguranças. Gostando, ou não, este são atributos que adquiri depois da partida do corpo físico da minha mãe.

Não me leve a mal, eu obviamente repudio o fato dela ter sido “arrancada” de mim. Mas é com esta mesma ferocidade que eu me agarro naquilo que me foi presenteado com a partida dela. E por diversas vezes me pego tentando entender: “Como é que a pior coisa que já me aconteceu também pode ser a melhor coisa sobre mim?”

Então se este é o seu primeiro dia das mães, sem mãe, saiba que não será tão difícil quanto você pensa. E saiba que mesmo você querendo socar todas as pessoas que te dizem que o tempo se encarrega de tudo, saiba que elas estão certas. O tempo com certeza vai amenizar todos estes sentimentos que estão apertando o seu coração. E um dia você cria consciência do quanto você mudou, e do quanto você cresceu como ser humano. E assim como eu, você também irá para sempre se esforçar para se tornar uma pessoa cuja qual a sua mãe teria o prazer de conhecer.

Ps. C e R, lembrei de vocês em cada parágrafo.

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Rafaela Carvalho. A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar mas não copie e cole.

Um comentário sobre “Dia das Mães sem Mãe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s