Tolerância com o que realmente importa.

Eu preciso lidar com a saudade, que é síndica no meu coração.

Eu preciso lidar com sentimento de culpa.

Eu preciso lidar com horários.

Eu preciso lidar com o fato de que um dos meus filhos irá sempre precisar de algo quando estou me sentando para jantar.

Eu preciso lidar com o meu pânico de avião.

Eu preciso lidar com a minha ridícula falta de paciência.

Eu preciso lidar com pré-adolescentes (no plural porque pré-adolescentes andam em bando, e por isso tem sempre mais de um lá em casa).

Eu preciso lidar com as minhas celulites (com muitos “ésses” no final).

Eu preciso lidar com fraldas explosivas, dentes nascendo, e viroses. 

Eu preciso lidar com a minha constante batalha entre querer que meus filhos fiquem pequenos para sempre, e querer educá-los para que se tornem adultos independentes.

Eu preciso lidar com a pilha de louça, de roupas, e de brinquedos, que se multiplicam por meiose na calada da noite.

Eu preciso lidar com o ronco do meu marido.

Eu preciso lidar com o fato de que ultimamente não tenho me conectando a minha religião com a frequência que deveria.

Eu preciso lidar com a minha ansiedade, e com as minhas dúvidas.

Assim como você, eu preciso lidar com uma variedade de coisas. Problemas que são grãos de areia perto dos problemas de milhões de outras pessoas. De fato, todas estas coisas que narrei aqui são mais bênçãos do que problemas. O que não me impede de querer escolher as minhas batalhas, e selecionar as lutas que de fato merecem a minha energia.

Preciso tanto aprender a entregar minha alma e meu tempo somente para as batalhas que trazem o melhor de mim. Parar de lidar com picuinhas que não me despertam bons sentimentos, nem mesmo me fazem crescer como ser humano. Às vezes ter paz é melhor do que ter razão. 

E você? Que tipo de batalha desnecessária você anda enfrentando? Será que é algo que realmente merece o seu empenho?

Vamos guardar nossa tolerância para o que realmente importa.

 O resto? 

O resto, nem eu nem você queremos.

O resto, vamos jogar para escanteio.

O resto, só desgasta.

O resto… O resto não precisamos lidar.

2 comentários sobre “Tolerância com o que realmente importa.

  1. Oie, sou Istela, Coach de mães e mulheres, e adoro seus textos, vc coloca as dores das minha clientes de forma clara, e eu estou aqui humildemente querendo pedir para que vc me permita as vezes expor seus textos,ou a ideia deles, na minha página.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s