Eu confesso.

Eu confesso.
Todo fim de tarde eu deixo os meus filhos assistirem televisão para que eu consiga preparar o jantar.
Eu pulo algumas palavras, ok na verdade eu pulo parágrafos, quando leio longos livros infantis.
Eu perco a paciência com meus filhos diversas vezes durante a semana.
Todas as manhãs eu coloco o bico 1 na mamadeira do meu filho para que ele mame devagar e me de tempo de tomar café.
Eu odeio lavar a louça.
Quando não temos verduras e estou com preguiça de ir no mercado, coloco tomates picadinhos na comida para me sentir menos culpada.
Já cortei o dedo da minha filha tentando cortar as unhas.
Quando estamos no carro e o meu filho chora porque quer sair da cadeirinha, digo para ele olhar pela janela pois acabei de ver um macaco passando. Ou um tigre, ou um leão, ou seja lá qual for o animal favorito daquela semana.
Eu chego atrasada em quase todos os jogos de futebol do meu pré-adolescente.
Meus filhos já caíram e se machucaram bem debaixo do meu nariz.
Já esqueci de trocar a fralda do meu filho ao ponto do gel começar a vazar.
Eu não tomo nem perto de 2 litros de água por dia.
Nunca lembro de comprar meias para minha caçula e até hoje ela está usando as meias tamanho recém nascido (ela já está com quase 9 meses).
Eu já queimei a boca do meu filho pois não vi que a comida estava muito quente.
Meus filhos já ficaram dois dias sem tomar banho.

A minha sala está sempre uma bagunça. Quem eu quero enganar? A minha casa inteira (não só a sala) está sempre uma bagunça.

E meus filhos, como são meus filhos? Bom, eles são normais. Eles estão bem, e estão felizes.

Ser uma boa mãe não pode estar relacionado ao número de horas que você brinca com seus filhos. E não pode ser medido através da quantidade de glúten que você deixa eles ingerirem.

Mães não são seres mágicos. Nós somos reais. Perdemos a paciência e ficamos cansadas. Cansadas da rotina, cansadas de ter que cozinhar todo-santo-dia. Cansadas de achar roupa limpa no cesto de roupa suja. Sim, nós ficamos cansadas. Mas também temos ataques de alegrias e gritamos alto quando presenciamos os primeiros passos. Ou quando sem querer fazemos cosquinhas e arrancamos aquela gargalhada gostosa. Ser mãe é muito difícil, e infinitamente gratificante.

Eu confesso, não sou uma mãe perfeita. Não é que eu não queria ser uma pessoa melhor. Pelo contrário. Mas admitir que não se pode abraçar o mundo todo de uma vez, enxergar os próprios erros, e ter um pouco de amor próprio, também é um grande aprendizado.

E você, o que você confessa?

8 comentários sobre “Eu confesso.

  1. Rafaela,

    Leio poucos blogs maternos. Talvez seja porque não encontro neles a leveza, a sensibilidade e a confusão que a maternidade agrega ao nosso dia a dia.

    Entretanto, o seu blog é diferente. Você é divertida, escreve bem e dei boas risadas ao me identificar com a sua rotina.

    Parabéns!! E que possamos sempre nos emocionar, rir, chorar, reclamar, agradecer….. tudo ao mesmo tempo!! Afinal de contas, a maternidade é a viagem mais louca e maravilhosa da vida!!

    Curtir

  2. Pingback: Melhores links da semana (de 20 a 25/06/2016) - Só Melhora

  3. Eu confesso tudo que escreveu. Ha Ha, me vi muito nas confissões. Quando se é mãe de três a gente dribla a maternidade. É desse jeito mesmo, e não devemos nos sentir culpadas por picar tomates no prato do filho para substituir outro alimento ha ha.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s