A história do blog

Hoje eu me dei conta de que tem muita gente nova por aqui e que faz tempo que não me apresento.

Meu nome é Rafaela, tenho 29 anos e 32 meses (jamais sairei da casa dos vinte), sou de Curitiba mas moro na California há quase 10 anos. Sou casada, tenho 3 filhos: Cae, Dom e Zara.
Sempre gostei de escrever mas confesso que achava esta história de blog meio nerds. Intimamente tirava sarro de quem fazia. Língua fala, língua paga, e hoje aqui estou eu.

Quando minha caçula nasceu eu achei que minha individualidade tinha me dado adeus, que nunca mais seria um ser de sobrancelha tirada e perna depilada. Eu via por aí depoimentos de mulheres amando cada “segundinho” dos dias pós parto e das noites em claro. Mães dizendo o quanto era gostoso levantar de madrugada para dar o tetê.
Minhas mais sinceras desculpas para quem usa este termo, sem julgamento e sem ofensas, mas tenho alergia crônica da palavra tetê. Sem nenhum preconceito, mas eu particularmente, não consigo adicionar esta palavra ao meu vocabulário materno.

Eu amo meus filhos mais que tudo, mas os primeiros meses como mãe de 3 foram surreais! Tinha dias que eu chorava de alegria ao admirar o olhar inocente da minha bebê, mas muitos foram os momentos em que o que eu mais queria era ver aqueles olhinhos bem fechadinhos e dormindo a noite inteira. Eu sei que para algumas mulheres é mais fácil mas comigo não foi assim.

Cheguei a pensar que eu era uma ET. A única pessoa do mundo que achava difícil pra caramba, e que se sentia como aquelas artistas de circo, jogando para cima e equilibrando 3, 4, 5 bolinhas com as mãos? E de repente, quando você menos espera, vem alguém e adiciona mais uma bolinha. E mais uma. E mais uma.

E foi assim que comecei a escrever. Para dizer pra mim mesma que quando a vida me jogar mais bolinhas, que eu posso muito bem deixar uma cair. Que não tem problema. Que o mundo não vai acabar. E que se acabar a gente da um jeito. Porque mães têm este poder. Sempre damos um jeito.

E escrevendo eu descobri que não sou a única, pelo contrário, é assim com muita gente. E se é assim com muita gente, por que ninguém fala nada? Porque vivemos cada uma no seu quadradinho? Porque pintamos por ai uma imagem onde o pós parto é um sonho, e a maternidade é feita de dias doces, como se o maior amor do mundo não trouxesse também culpa, insegurança, e frustrações?

Quando falam que era mais fácil criar filhos antigamente, sabe o que eu penso? Claro que era. Minha vó tinha meia dúzia de comadres. Não só as expectativas eram menores, mas a união era maior. Vocês já ouviram histórias de como as mulheres ganhavam bebê antigamente? Outras mulheres vinham para dar apoio, ajudar, tomar conta das outras crianças. Muito disto acabou. Hoje em dia uma mulher ganha bebê e horas depois já tem que estar com uma camisola linda, sorrindo, recebendo visitas que não param de chegar no hospital (principalmente no Brasil). Isto é um absurdo.

E como cereja do sunday, ainda existem Facebook e Instagram. As mídias sociais tem dois poderes fortíssimos. O primeiro é de criar uma falsa perfeição em tudo que é compartilhado, assim, a vida do vizinho parece ser muito mais interessante do que a nossa. E o segundo é de que aproxima as pessoas.
Então vamos nos agarrar neste segundo poder e tirar alguma vantagem da realidade em que vivemos hoje. Quem sabe através de palavras a gente consiga mostrar uma para a outra, que não estamos sozinhas. E que apesar da distância física que separa todas nós, cada uma está lá, na sua casa, fazendo aquilo que todas nós mães fazemos, dia após dia. Aproveitando os momentos bons, e passando por cima dos ruins. Porque no final das contas é como dizem por aí: “When women support each other, incredible things can happen.” (Quando mulheres apoiam umas as outras, coisas incríveis podem acontecer).

Ps. A foto é do parto da Zara, com a minha doula que foi uma presença extremamente importante para mim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s